Não caia nessa. A pressa não compensa.

Placeholder Caminhão.jpg
 

Sabemos que, para os motoristas profissionais do transporte de carga, cada viagem conta. Quanto maior a produção, maior será a remuneração. Aqui está a grande armadilha. Para fazer mais viagens, alguns podem ceder à tentação de pisar mais fundo, ou de não respeitar a sinalização e as melhores práticas da direção defensiva. 

O ponto é que a pressa e a imprudência cobram um preço muito alto. A briga entre um trem e uma carreta é muito desigual, e normalmente o prejuízo para o dono do caminhão é enorme. Além disso, a empresa para qual você, motorista, trabalha, pode sofrer multas pesadas. E, ainda, a ferrovia pode requerer reparação pelos danos à estrutura. 


Deixe livre o cruzamento

Especialmente quando se trata de veículos pesados, é importantíssimo lembrar que o trânsito pode parar a qualquer momento à sua frente, prendendo sua carreta sobre a linha férrea. Não acredita? Veja as cenas ao lado e imagine o sufoco pelo qual passou o motorista, simplesmente por não ter observado uma distância segura no cruzamento. 

Lembre-se: segundo o Código Brasileiro de Trânsito, é obrigatório parar um veículo antes de uma passagem em nível. Não basta reduzir a velocidade.

 
 

Para as empresas de transporte rodoviário

 Clique para fazer download do material (PDF).

Clique para fazer download do material (PDF).

Para ajudar as empresas de transporte rodoviário que atuam em regiões com presença de trens, o Linha da Vida disponibiliza esta apresentação, que pode ser usada em Diálogos de Segurança e outras reuniões com os motoristas. 

Somente com a participação de todos é que poderemos evitar as colisões com trens. Precisando de mais informação, por favor entrem em contato.


Compartilhe

Dissemine a cultura de segurança, publicando as peças Linha da Vida nas redes sociais.